fbpx

Comparativo: Tiggo 8 vs Jeep Commander

Carros de sete lugares já fizeram muito sucesso no mercado automobilístico, que acabaram perdendo um pouco de espaço para os tão desejados e mais acessíveis SUVs menores. No Brasil, veículos como Toyota SW4 e Chevrolet Blazer estavam entre os preferidos de compradores que buscavam espaço para levar a família toda para passear. Mas havia aqueles com preços mais acessíveis, como Zafira e Doblò. Hoje, a Chevrolet Spin e a Fiat Doblò ainda se mantêm firmes no mercado e vivas para ver novamente essa categoria voltar a fazer sucesso no nosso país.

Para aqueles compradores com a conta bancária intermediária, há duas opções que chamam a atenção pela oferta de tecnologia embarcada e segurança necessárias em um carro atualmente: o Caoa Cherry Tiggo 8 e o estreante na categoria Jeep Commander. Neste artigo, comparemos os principais atributos deles.

Atualmente, o Tiggo 8 é o líder dessa categoria, principalmente pelo seu preço, que é de R$ 201.990. Ele é comercializado em uma única versão, a TXS. Por sua vez, o Jeep Commander é ofertado em quatro versões, e a que será comparada ao Tiggo 8 é a Overland 1.3 turboflex, que parte de R$ 295.020.

Externamente é possível perceber a diferença de estilos entre eles. A escola chinesa do Tiggo 8 apresenta uma aparência mais chamativa, com lanternas e faróis maiores, grade volumosa e um grande friso cromado na dianteira. Ele é calçado em rodas de 18” que no geral deixam o modelo com um porte bem robusto. Já a escola americana do Commander prefere a elegância, com linhas horizontais, faróis mais estreitos e escurecidos, com belas rodas de 19”.

A bordo do Commander, é notória a paridade com seu irmão Compass, que apresenta qualidade superior de materiais. Mesmo assim, fica evidente o maior nível de sofisticação se comparado ao Tiggo 8. Este, por sua vez, também tem materiais de qualidade, como uso de emborrachados e o tecido que imita couro, mas o desenho geral e o toque nos botões, por exemplo, é inferior ao Commander; ou seja, o conjunto é bom, mas é preciso uma evolução no refinamento.

Sobre a lista de equipamentos, o Jeep Commander também se sai melhor. Os dois têm faróis e lanternas em LED, ar-condicionado bizona, quadro de instrumentos digital, sensores de estacionamento, teto solar panorâmico, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, ajuste elétrico nos bancos dianteiros, carregador de celular por indução e partida remota pela chave. No entanto, apenas o Commander traz alerta de colisão e correção de saída de faixa, piloto automático adaptativo e sistema de estacionamento semiautônomo. Além de ter sete airbags, conexão sem fio para os sistemas Android e Apple e som da marca Harman Kardon. O Tiggo 8 tem seis airbags, porém, como exclusividade, ele dispõe de um sistema de câmeras com visualização em 360º.

Mas não é em todas as seções que o Commander se sairá melhor. Naquela que talvez seja a mais sentida por uma família maior ele acaba perdendo: o espaço interno do Jeep não dá tanto conforto físico aos ocupantes como o Chery. Nos dois, a segunda fileira corre sobre trilhos para que haja maior espaço para a terceira fileira. E é aí que a negociação de espaço do Commander é bem mais difícil. Outro ponto em que este peca é o assoalho ser bastante alto, o que deixa os joelhos dos passageiros da terceira fileira acima da linha da cintura. Aliás, chegar até a terceira fileira do Commander também é bem mais complicado. No Tiggo 8, por ter o teto mais alto na parte de traz, não há tantos problemas para os ocupantes daquela parte do carro. Mas ficou faltando uma entrada USB, que há no Commander.

Quanto ao porta-malas, mesmo sendo um carro de sete lugares, normalmente a maioria dos compradores anda com a terceira fileira rebatida. Nessa formatação, o Tiggo 8 tem uma capacidade de 889 litros, contra 661 l do Commander. Com a terceira fileira, o Commander oferece 233 litros, contra 193 litros do Tiggo 8.

Sobre motor, nenhum deles foca em esportividade, mesmo assim, ter um bom fôlego é importante para empurrar as mais de uma tonelada e meia de cada um desses carros. Com um motor 1.6 turbo a gasolina de 187 cv de potência e 28 kgfm de torque, o Tiggo 8 deixa o Commander para trás. Ele vai de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos. Quanto a consumo, ele teve bons números: 11,1 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada. O Commander, com mais de 1.700 kg e seu motor 1.3 turboflex T270 de 180/185 cv teve um rendimento parecido com o chinês, mas precisou se esforçar mais, resultando em acelerações mais lentas. O consumo rodoviário do Jeep, porém, foi melhor, marcando 13,3 km/l.

Portanto, ambos apresentam suas qualidades e “defeitos”. O Commander é mais bem equipado, porém, o Tiggo 8 tem qualidades importantes em um veículo de sete lugares, como a oferta de espaço e um melhor preço. Então, se você está procurando sete lugares, ótimo espaço interno e não liga tanto para tecnologia embarcada, a escolha é pelo Caoa Cherry Tiggo 8. Ele é o campeão no comparativo.

É apaixonado por carros? O QG do Automóvel criou um grupo especial de WhatsApp que vai te deixar por dentro das principais novidades do que acontece em Manaus. Clique agora e faça parte do grupo do QG do Automóvel! Esperamos você.

Deixe um comentário

Mais lidos

Nós usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.